segunda-feira, março 08, 2010

Focus


Eu não sou cego,
não deixei de ver o negro ao fundo,
o agitar de braços a pedir atenção.

Nem fiquei surdo,
apesar de ouvir sussurros e apagar gritos.

Apenas foquei.

Foco uma imagem que é o meu mapa,
foco um som que me faz dançar.

Não apaguei a tristeza,
bebi-a lentamente,
e deixei que os meus anti-corpos a assimilassem.

Eu não sou maior do que fui,
Sou aliás mais pequeno,
sou do tamanho do desejo,
um pequeno motor que nos faz avançar.

Não sou um arco-íris, sou a cor que falta,
que nenhuma combinação consegue formar.
Fui todos para agora ser singular.

Estou em guerra, uma guerra que não magoa,
uma guerra dos pequeninos,
ultrapassada em todos os momentos,
porque eu sou paz.


pic audeladesombres

6 comentários:

Rita disse...

Quando nos focamos tornamo-nos num sentido

Quando nos assimilamos e nos reconhecemos na dualidade do que somos tornamo-nos PAZ

Amadoro te

Putty Cat disse...

carago...
aleluia, um post em GRANDE!

nOgS disse...

Tu és paz e amor, dear friend.
miss you...

Muack!

Maria disse...

E assim se volta em grande.
Que saudades de te ler.

e de te ver mais, também

(Un)Hapiness disse...

o que de bom tem o facto de nos focarmos em algo e as consequências que tal acto acarreta...

que bom post!


beijinhos*

LB disse...

E Ser Paz é o Caminho!
Saudades de te visitar!
Lb