quarta-feira, abril 26, 2006

saltar e voar

A primeira vez que saltei
Pareceu que voei
Um salto pequeno
Eterno
Pouco depois
De pouca altura caí
Quase morri
Pouco demorou
Até o próximo salto
Caí sem sofrer
E saltei, saltei
E saltei por prazer.

A primeira vez que voei,
Demorei a levantar,
Mas subi, subi sem parar.
Durante 6 anos subi,
Passem o ceú,
Toquei as estrelas
Olhei e olhei
E vi, vi tudo
Antes de cair

Não mais voei,
Mas uma vez saltei,
Saltei tão alto
Que fiz parte do ar,
E quando caí,
Sonhei voar.

2 comentários:

Ana disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ana disse...

O que nos dá impulso para voar é acreditarmos que existirá algo de maravilhoso para viver.
Por muito que se salte, por muito que se voe... Nunca se viu tudo, nunca se sentiu tudo. E é precisamente a beleza da descoberta de novas sensações, emoções que nos diz baixinho: "Salta grilinho e aprende de novo a voar."